quinta-feira, outubro 30, 2008

Quando os sinos tocam...



Quando eles tocam minha alma treme!
Sente vontade de levantar e de ir…
Mas é ai que ela lembra e teme
Que haja dor quando ela sair.

Trazem lembranças boas de outrora,
De quando a vida era colorida.
Lembram da ferida alma a aurora
E de quando não era escondida.

Hoje, porém meu canto será meu lugar,
Terei por companhia só velhos cortes.
Terei aqui por companheiros de lar
Outras almas que padecem mortes…
Emmanuel Henrique

2 comentários:

Renato disse...

Oi Emmnuel!!!
Fiquei impressionado com esse poema seu, tamanha a intensidade dele. Apesar de ainda não coinseguir identificar mas há uma coisa nele que me tocou tão profundamente...
Muito lindo mesmo.
Um abço!!

ρι disse...

Oi Renato!

Obrigado pela visita! E volte sempre! Que bom q consegui traduzir algo de vc, d sua alma! Isso me deixa contente e mostra que ja temos algo em comum!

=]

um abarço!