segunda-feira, dezembro 22, 2008

Ser homem ou ser macho???




“Quero ver se é homem”, “diz que é homem”, “se não fizer isso, não é homem”, “tá parecendo um boiola”.


Desde fedelho, o homem perde décadas de sua vida comprovando sua masculinidade. Com os amigos da escola, dentro de casa, na rua com as meninas, na fase adulta com as mulheres e os amigos do trago.


Ele é testado todo momento. Na balada ou no churrasco. Na rua ou no estádio. Ser homem não é natural, é um condicionamento. Um exame infindável de testosterona intelectual. Uma provação incessante, que se inicia nas brigas infantis e não termina com a morte.


Quem já não teve uma mulher em sua história que gritou: “Você não é homem!”? Só para irmos lá e arrancarmos um beijo na boca. Não é triste ser submetido a um concurso público da própria condição?


Observe uma roda de amigos num bar. Haverá provocações de quem é mais macho no grupo. Piadas involuntárias, sempre colocando em dúvida a conduta sexual. Colegas se ofendem como uma forma de amizade.


É uma armadilha. Como o homem pode exercitar sua sensibilidade, obrigado a reiterar seu sexo eternamente? Ele passa maior parte de seus dias se defendendo. Confunde camaradagem com redundância. O que o transforma num IDIOTA, pois se repete e repete sem parar as insinuações coletivas. Como é possível manter as mesmas refregas do jardim de infância à universidade? O homem não ousa, não investe, não contraria o perfil pré-estabelecido para descobrir o que gosta e contar como gosta.


Dói ser homem, é cansativo ser homem. Sim, os homens têm facilidades: mijar de pé. Falei facilidades, retiro, o homem tem uma facilidade: mijar de pé. Ele é adestrado para ser influenciável e sofrer com as comparações. Será comparado ao pai, aos colegas, aos ex-namorados, aos sogros, aos filhos, aos ex-maridos, e, ultimamente, aos cachorros.


Ele não se regra pela intuição, ele se situa pelos outros. Batendo nos ombros, nas costas, exercendo os cumprimentos aos empurrões, ameaçando com indiretas e fiscalizando quem demonstra sair da linha. Homem vive denunciando seus iguais para não revelar seus segredos.


Homem é delator. Homem nunca está em si de tanto que espia e controla seus vizinhos.
Na escola, as conversas apenas giravam em peitos, bundas e buceta. JURO. Eu nem tinha condições de comentar alguma coisa. Minha experiência era quase nula. Avaliando bem, era nula. Das páginas médicas da Barsa. Mas era formado a tratar a trinca erótica com vulgaridade. Caso não soltasse um palavrão, não seria aceito.


Ser aceito e se aceitar são coisas bem diferentes. Na infância, meus amigos ou se reuniam para o futebol ou para comentar detalhes sórdidos. Eu não tinha o que acrescentar ao assunto. Demandava um tremendo esforço para não ser localizado como marica. O segundo grau seguiu a mesma sina. Amigos chegavam a ficar debaixo da cama enquanto casal de colegas transava. Claro, com o consentimento do cara, que enrolava a menina no discurso para não identificar os penetras. Logo a menina era classificada como piranha e o comedor, herói. Com pastelina e coca-cola, narrava o que ela aprontou ou deixou de aprontar.


Os homens aceitaram sua burrice. Reforçam seus preconceitos e fobias porque é complicado alterar a virilidade adquirida pela insistência vocabular.

A noção de que todo gay é promíscuo provém de uma teoria machista, porque os homens temem no raso e no fundo os próprios gays que são. Os gays não pensam sempre em sexo (os homens pensam muito mais). Ao pensar somente em sexo, empobrecemos o sexo. O gay tem a liberdade de dizer o que sente, o homem é obrigado a sentir o que dizem e esperam dele.

Além disso, os gays são mais fiéis do que os próprios homens. Quantos casais gays demonstram uma lealdade que não se encontra num par heterossexual? Lembrei de cinco casais amigos antes de completar a frase.

Aviso: esse é o nervo. A inteligência gay deixa espaço e disponibilidade para exercitar seus gostos. Por isso, os gays são melhores amigos das mulheres, tem um temperamento mais refinado, um humor mais espirituoso, um desembaraço invejável para dançar, chorar e se alegrar.

Gay não precisa demonstrar que é gay. Mulher não precisa demonstrar que é mulher.
O homem é treinado a pensar em sexo ou a pensar que é homem. Não sobra tempo para amadurecer. Ele terá que decidir entre se exaurir e se renovar.

Minha alma não é feminina, desculpe a decepção. Como se a sensibilidade unicamente fosse elogiosa sendo feminina. Se a sensibilidade é feminina é mais. Se a sensibilidade é masculina é menos.

Homem sofre, homem geme, homem erra, homem ama escandalosamente.

Minha alma é masculina, o que me faz sensível para não provar mais nada.


© Texto, by Fabrício Carpinejar

12 comentários:

junior disse...

Sem comentario simplesmente vdd tudo que esta escrito ai...

Lita disse...

Linda postagem, Emmanuel!
Escolhestes um texto inteligentíssimo que revela a hipocrisia, a vergonha a que um homem tem que submeter-se para provar que é macho durante toda a vida e a coragem de alguém que não quer nem deve agir como o sistema exige dele, ou seja, como um idiota...
Parabéns, amigo! AMEI!!!

ρoësis disse...

Obrigado Lita e Junior!!!

vlw!!

Paulo Sempre disse...

«Homem nunca está em si de tanto que espia e controla seus vizinhos» e vice-versa.
Abraço

ρoësis disse...

Paulo, bom ver gente nova por aqui!! brigado pela visita, e volte sempre!!

Dai Gothic Angel disse...

Sem mtas palavras...
É qse inacreditavel a capacidade
q os seres humanos teem
com tamanho preconceito...
Revoltante... porem, real!
Vi o comentario q vc fez sobre um poema q eu escrevi pro Lucas se quiser dah uma olhada nos outros q eu escrevi pra ele tb!
bjusss parabens pelo texto

Renato disse...

OI Emmanuel!!
demorei para poder postar aqui pq queria ler com calma este texto muito bem escolhido que define com certeza a hipocrisia que tem que se submeter para ser homem.
Adorei!
Um grabde abço!!

Emmanuel disse...

Obrigado Renato pelas palavras. Grande companheiro de viagem! =]


Vlw pela visita Dai! Mto obrigado e volte sempre!! \o/

Pensadora disse...

Como já cantava Ney Matogrosso...

"Quando eu estava prá nascer
De vez em quando eu ouvia
Eu ouvia a mãe dizer:
"Ai meu Deus como eu queria
Que essa cabra fosse home
Cabra macho prá danar"
Ah! Mamãe aqui estou eu
Mamãe aqui estou eu
Sou homem com H
E como sou!..."

Adoro esta música! E ela fala da expectativa criada antes mesmo do nascimento.

Luna Sanchez disse...

Excelente texto, de uma lucidez impactante.

Ser intimado a dar provas de sua própria natureza, constantemente, é ilógico.

Um abraço,

ℓυηα

Dyvah disse...

Emmanuel simplesmente amei, é isso mesmo, um falso moralismo uma barra forçada sobre a masculinidade, resumir ser homem num conjunto de atos insanos q reprimem sua expressão real, se mostrar como vc é, sem dever satisfação ao teu amigo q como dez o texto "Homem nunca está em si de tanto que espia e controla seus vizinhos".

Edson Tavares disse...

Rótulo é foda!
Que importância tem a forma de alguém sentir prazer, para determinar quem deve se aproximar, ou o que deve fazer?
Como dizia Ruy Barbosa (se é que realmente ele disse isso - e se não disse, deveria ter dito), "quanto mais observo os homens, mais admiro os cães"... E olhe que eu detesto cachorro...